Confira passo a passo como será o julgamento do impeachment de Dilma (terça, 23 de agosto de 2016)


No julgamento do processo do impeachment no Senado, cada parte tentará impor um ritmo ao julgamento. Os apoiadores de Dilma querem prolongá-lo, enquanto os governistas tentam antecipar o fim da sessão para antes do dia 31. Alguns senadores favoráveis a Temer, por exemplo, devem abrir mão de suas falas. A pressa está relacionada à viagem do peemedebista a China, para a reunião do G-20, que começa em 4 de setembro. Temer quer ir como presidente efetivo.

Segundo o Planalto, não está definido quando ele viajará. A expectativa era de que o presidente fosse no dia 30 para encontros bilaterais antes da reunião. Devido à data da posse, Temer pode ir apenas em 1º de setembro — são estimados dois dias de viagem até a China. O presidente interino já começou a esboçar a mensagem que lerá ao Congresso.

Segundo Márcia, a direção-geral e a Polícia Legislativa do Senado informaram à pasta um cronograma no qual o julgamento é paralisado no dia 25, às 23h, e retomado às 9h da sexta-feira, quando seguirá até provavelmente a madrugada de sábado. No dia 29, às 9h, a sessão recomeça e só termina quando acabarem todas as perguntas à presidente afastada. Na terça-feira, dia 30, para quando estão previstos os discursos dos senadores, o julgamento deve ser novamente interrompido às 23h e retomado na manhã seguinte.